Necessidades Rosa

Necessidades Rosa

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Dicas de Séries para quem vai passar o Carnaval pulando em casa!

Eh, o Carnaval está chegando e você é como eu, que adora pular o Carnaval assistindo suas séries favoritas??!!!

Pode ser no Netflix, ah mas você não tem?, então pode ser em outros sites da Net... o importante é se divertir, e colocar as nossas séries em dia, ou começar a assistir novas, não é?

Escolher uma nova série à qual dedicar longas (e maravilhosas) horas da sua vida é uma arte dominada por poucos. Pedir a indicação de amigos pode ser uma boa, mas elas nunca vêm com imparcialidade – ou pior: sem spoiler.

Para ajudar, fiz uma seleção uma séries que você tem que assistir e estão disponíveis em serviços de streaming. Guarde nos favoritos do navegador, mande o link para os amigos!!!!

Então, prepare o balde de pipocas, o cobertor, e o que você está esperando?? Vamos assistir juntinhos e nos divertir!!!

1. Grey's Anatomy
O dia a dia de um hospital recheado com bons dramas pessoais da equipe de médicos. A trama toda gira em torno da cirurgiã Meredith Grey (Ellen Pompeo) e seus conflitos com familiares, amigos e pacientes. Principal série da superprodutora Shonda Rhimes — e uma das mais longas produções americanas dos últimos anos —, chegou em 2015 à 12ª temporada nos Estados Unidos. Na Netflix, as 11 primeiras estão disponíveis.

2. How to Get Away with Murder
A mais nova série de Shonda Rhimes garantiu o Emmy de melhor atriz em drama para Viola Davis. É um thriller de suspense jurídico sobre um grupo de estudantes de direito e sua professora, a brilhante advogada criminal Annalise Keating, papel de Viola. Ela vê sua vida mudar quando, junto com seus alunos, se envolve em uma trama de assassinato. A segunda temporada estreou nos Estados Unidos. A primeira está disponível na Netflix.

3. Orange Is the New Black
Ora comédia, ora drama, essa produção original da Netflix conquistou público e crítica ao mostrar a vida das detentas da Penitenciária Federal de Litchfield. A trama parte da história verídica de Piper (Taylor Schilling), uma mulher condenada por tráfico de drogas após transportar uma mala de dinheiro a pedido da ex- namorada, Alex Vause (Laura Prepon). As duas acabam se reencontrando na cadeia, mas a trama delas é complementada com as boas histórias das demais detentas, com destaque para Crazy Eyes (Uzo Aduba), Red (Kate Mulgrew) e Tastee (Danielle Brooks), entre outras. Três temporadas disponíveis na Netflix.

4. Olive Kitteridge
Grande vencedora da categoria minissérie/telefilme no Emmy 2015, com oito troféus, Olive Kitteridge apresenta Frances McDormand como a severa e amargurada professora Olive, mulher que tem sua vida ao lado de familiares e amigos, aos quais sempre dirige comentários ácidos sobre a vida. A trama se passa ao longo de 25 anos em uma pequena cidade em New England, norte dos EUA. Frances e Richard Jenkins, que vive o marido da protagonista, venceram o Emmy de melhor atriz e ator. Outro nome conhecido elenco Bill Murray, levou o Emmy de ator coadjuvante. Olive Kitteridge é uma adaptação do livro homônimo de Elizabeth Strout, lançado em 2008 e vencedor do prêmio Pulitzer de ficção no ano seguinte. Disponível no HBO Go e no Net Now.

5. Sense8
A série de ficção científica sobre oito desconhecidos que acabam ligados mentalmente por uma força (ainda) pouco compreendida é, na verdade, muito mais sobre as dificuldades de nos conectarmos intimamente com outras pessoas do que qualquer outra coisa. Enquanto tentam desvendar o mistério sobre o que de fato eles se tornaram, os personagens se envolvem em tramas pessoais que, não raro, os colocam em perigo — e a tensão das cenas funciona. Destaque para a diversidade dos protagonistas, que inclui uma mulher trans e lésbica, uma oriental, um negro e dois casais homossexuais. Disponível na Netflix.

6. Sherlock
Benedict Cumberbatch e Martin Freeman encarnam com excelência uma versão mais realista e contemporânea dos personagens de Sir Arthur Conan Doyle — Holmes é o problemático e muito excêntrico detetive, enquanto Watson é uma figura independente e bem mais carismática em comparação aos livros. Andrew Scott vive um Jim Moriarty necessário para tornar os casos de mistério mais complexos e envolventes. Uma pena que as temporadas demorem tanto a ser lançadas — a próxima está prevista para 2017. Pode ser assistida na Netflix (com os extras Sherlock Uncovered e Unlocking Sherlock) e no serviço Claro Vídeo.

7. Mr. Selfridge
Se você já está de luto pelo fim de Downton Abbey, a série britânica Mr. Selfridge, estreada em 2013, pode ser um bom consolo. Na história ambientada no início do século 20, o empresário americano Harry Selfdrige (Jeremy Piven, de Entourage) chega a Londres com o plano de criar uma loja de departamentos como nunca se viu (a Selfridge's da vida real). E, com a ajuda dos bons personagens que formam sua família e o quadro de funcionários, consegue isso e mais um pouco: uma trama envolvente, com questões de classe, romance, boas tiradas, ironia e ótimos diálogos em cenários e figurinos caprichados. Disponível na Netflix.

8. Call the Midwife
Uma série sobre a doce e dura vida de parteiras pode ser uma boa pedida? Este seriado que estreou em 2012 e já está chegando à quinta temporada prova que sim. A produção — britânica, claro — faz das jovens enfermeiras o fio condutor para revelar como viviam as famílias do East End londrino na virada dos anos 1950 para os 60. Drama temperado com humor, ótimos personagens com atuações precisas, algum romance e uma ótima crônica de costumes no pós-guerra. Disponível na Netflix e no serviço Claro Vídeo.

9. The Killing
The Killing (2011 — 2014) é uma exceção à regra de que a versão norte- americana nem sempre tem a força da produção de seu país original — no caso a dinamarquesa Forbrydelsen. Convocados a elucidar o assassinato de uma adolescente, os policiais Sarah Linden (Mireille Enos) e Stephen Holder (Joel Kinnaman, o novo RoboCop) têm de encarar uma família dilacerada e os poderosos da cidade. E, enquanto isso, lidar com seus próprios demônios. Graças à devoção dos fãs, após três temporadas da AMC, a série ganhou uma quarta, desta vez pela Netflix. Disponível também na Globo.TV.

10. Sons of Anarchy
Para quem gosta de um drama pesado e carregado de violência, esta é a série. Encerrada no final de 2014 na televisão norte-americana, a trama narra a história de um clube de motoqueiros — que dá o nome ao programa — que se envolve com tráfico de armas e drogas. Como se os conflitos com a polícia e gangues rivais não gerassem tensão suficiente, o presidente e o vice da grupo (que também são padrasto e enteado) entram em rota de colisão sempre que o assunto é o destino dos Sons. A Netflix disponibiliza cinco das sete temporadas.

11. Suits
Um grande escritório de Nova York que só contrata advogados formados em Harvard é o cenário desta série. Quando o talentoso e arrogante Harvey Specter (Gabriel Macht) precisa encontrar um assistente, o melhor que aparece é Mike Ross (Patrick J. Adams), um jovem gênio que nunca cursou uma faculdade. Juntos, os dois precisam trabalhar não apenas para vencer seus casos nos tribunais, mas também para manter o segredo intacto. A Netflix disponibiliza três das cinco temporadas.

12. Friends
Um dos maiores fenômenos da TV, a sitcom sobre seis amigos de 20 e tantos anos que moravam em Nova York, dividindo as alegrias e as barras de quem busca um lugar ao sol no mundo adulto, teve 10 temporadas. Todas com sucesso: o derradeiro episódio, por exemplo, foi visto por cerca de 52,5 milhões de americanos, tornando-se o capítulo de uma série mais visto dos anos 2000. Curiosamente, Friends não é o xodó apenas de quem na época se identificava com as aventuras vividas pelo sexteto: os adolescentes de hoje também curtem a série. Disponível na Netflix e no Vivo Play.

13. Narcos
Criada por José Padilha e estrelada por Wagner Moura, a primeira temporada da série em 10 episódios conta o surgimento do Cartel de Medellín e a ascensão do traficante colombiano Pablo Escobar (1949 — 1993), um dos criminosos mais poderosos da história. A dobradinha de sucesso dos dois filmes Tropa de Elite voltou à frente de uma caprichada produção internacional, repetindo o equilíbrio entre drama, ação e suspense responsável pelo êxito dos longas com o Capitão Nascimento. Disponível na Netflix — que também oferece a boa minissérie colombiana Pablo Escobar, el Patrón del Mal.

15. Masters of Sex
Em Masters of Sex, Michael Sheen e Lizzy Caplan encarnam, respectivamente, Dr. William Masters e sua parceira Virginia Johnson. A dupla que revolucionou os estudos sobre sexualidade humana há mais de 50 anos foi brindada com recriações fiéis às suas trajetórias reais, o que não acontece com os coadjuvantes: amigos e colegas de trabalho em hospitais e universidades foram concebidos pelos autores de modo a compor um amplo — e riquíssimo — painel dos EUA antes da chamada revolução sexual. Está na quarta temporada, e pode ser vista na HBO Go e no Net Now.

16. House of Cards
Uma das mais festejadas séries dramáticas deste século 21, traz Kevin Spacey como um inescrupuloso parlamentar norte-americano em sua escalada rumo ao topo do poder no país. Ele faz qualquer coisa — qualquer coisa mesmo — para chegar lá, e ainda conversa com a câmera como se o espectador fosse um confidente. Foi a primeira produção própria da Netflix a ser aclamada por público e crítica. Teve três temporadas, e a quarta está a caminho. Está à disposição na Netflix.

17. The Office
O humor ácido e nonsense deste seriado aclamado desde a sua estreia, em 2005, não é dos mais fáceis. Entretanto, quem der uma chance ao "melhor chefe do mundo" Michael Scott (Steve Carrell) e aos seus funcionários, trabalhadores de um pacato escritório que comercializa papéis, dificilmente não se deixará seduzir. O exagero de algumas situações beira o absurdo, mas, paradoxalmente, é isso o que faz de The Office uma sátira tão contundente sobre a rotina mais banal das corporações. Algumas temporadas podem ser vistas na Netflix, no Fox Play e no Claro Vídeo.

18. The Walking Dead
As clássicas histórias de terror com zumbis readaptadas em um grande clássico recente. Desde que estreou, em 2010, The Walking Dead chamou a atenção pelo enredo que não deixa o espectador escapar, a cenografia e os efeitos estéticos que deixam os mortos-vivos perfeitos e as atuações intensas de todos os protagonistas. É uma das séries mais populares dos últimos tempos — vale a pena assistir, até para ter assunto quando a sexta temporada estrear, em outubro. Disponível na Netflix, na Fox Play, no Sky Online, no Net Now e no Claro Vìdeo.

19. Glee

A série norte-americana fez sucesso por combinar o universo adolescente com uma boa dose de música e dança — chegou a inspirar, inclusive, uma temporada de Malhação no Brasil. Pano de fundo das histórias, o clube de canto é comandado pelo otimista professor Will Schuester (Matthew Morrison), que tenta reerguer a moral do grupo, formado pelos "não populares" da escola. Um dos pontos altos da série estrelada por Lea Michele é a combinação certeira entre jovens de diferentes histórias e estilos, mas sem ser clichê ou forçar os estereótipos. Disponível em Netflix, no Net Now e no Claro Vídeo.

20. O Demolidor
A série O Demolidor é uma das surpresas da Netflix em 2015. O herói dos quadrinhos não é um dos mais importantes da Marvel, e o filme estrelado por Ben Affleck (Demolidor: o Homem sem Medo) foi muito criticado, mas a série produzida pela Disney é bem amarrada, tem belos cenários e conta com a boa atuação do quase desconhecido Charlie Cox no papel de Matt Murdock, o advogado cego que salva vidas nas horas vagas. Disponível na Netflix.

21. Unbreakable Kimmy Schmidt
Em Unbreakable Kimmy Schmidt, uma garota é salva após viver anos em um bunker, mantida por um pastor devido a um falso apocalipse. A personagem da atriz Ellie Kemper vai então morar em Nova York e não tira mais o sorriso de satisfação do rosto. Ela ganha a companhia de Titus, um ator iniciante, Lillian, dona do local onde vai morar, e Jacqueline, uma patroa meio maluca — formando uma trupe que garante boas risadas. Disponível na Netflix.

22. American Horror Story
Uma história de terror que faz analogia à exclusão e a diversas formas de preconceito. Isso é American Horror Story, antologia criada por Brad Falchuk e Ryan Murphy, mentes responsáveis pelo musical Glee e a novata Scream Queens. Durante quatro temporadas, já visitamos uma casa mal-assombrada, um manicômio com E.T., capeta e tudo o mais que se tem direito, um covil de bruxas e um circo de horrores. Na quinta temporada, nos hospedaremos no hotel de Lady Gaga. Como não amar? Disponível na Netflix, no Claro Vídeo e no Fox Play.

23. Girls
Criada e estrelada pela atriz e escritora Lena Dunham, conhecida como a voz da Geração Y, Girls acompanha a rotina de quatro amigas de 20 e poucos anos que, entre amores e empregos muito voláteis, vivem os conflitos típicos da geração que chegou à maioridade no ano em que o iPhone foi lançado. Dunham interpreta Hannah, aspirante a escritora que é obrigada a se sustentar sozinha quando os pais decidem parar de pagar mesada. A série chega à quinta temporada em janeiro de 2016. Disponível na HBO Go.

24. Sessão de Terapia
Com direção de Selton Mello e protagonismo de Zé Carlos Machado, a série durou duas temporadas e foi exibida pelo GNT. Conta a história de um psicoterapeuta que lida semanalmente com seus pacientes, um a cada dia — na primeira temporada, por exemplo, ele deve lidar com uma mulher apaixonada por ele na segunda-feira, um atirador de elite na terça, uma adolescente que se acidentou na quarta e um casal na quinta, enquanto, na sexta, ele vira paciente de uma psicóloga orientadora. Disponível na Sky Online, no Globosat Play, no Vivo Play e no Net Now.

25. Silicon Valley
Nunca foi tão fácil ficar bilionário. Isso, claro, se você tem uma grande ideia e está no lugar certo: Silicon Valley, Califórnia. Parcialmente inspirada nas experiências como engenheiro de um dos criadores da série, Silicon Valley mostra que aspirantes a Steve Jobs podem ser gênios em programação, mas um desastre para todo o resto — e que a invenção revolucionária de hoje pode ser o vídeo betamax de amanhã. Com humor nerd de primeira categoria, a terceira temporada deve estrear em abril de 2016. Disponível na HBO Go.

26. Bron/Broen (A Ponte)
Também conhecida no Brasil como The Bridge ou A Ponte, a ótima coprodução sueca e dinamarquesa Bron/Broen começa com um corpo encontrado na divisa da ponte que liga os dois países. Assim, a policial sueca fria e metódica (Sofia Helin) e o colega dinamarquês emotivo e bonachão (Kim Bodnia) têm de unir esforços. O que eles não esperavam é que o crime se desdobrasse em uma sequência de quebra-cabeças com o objetivo de chamar a atenção da opinião pública para problemas políticos e sociais. Disponível nos serviços Net Now, Sky Online, Vivo Play e Globosat Play.

27. Modern Family
A família sempre esteve retratada nas comédias norte-americanas, mas não da forma como aparece em Modern Family. Esta debochada e premiada produção, estreada em 2009, mostra as desventuras diárias de três núcleos interligados. Um deles é formado pelo corretor de imóveis Phil, a esposa, Claire, e os três filhos. O irmão de Claire, Mitchell, é casado com o impagável Cameron, com quem adota uma menina vietnamita. Jay, o bem-sucedido pai de Claire e Mitchell, mora com a segunda esposa — a deslumbrante colombiana Gloria — e o filho dela, Manny. Pela maneira como retrata a tradicional família americana ressignificada aos tempos de diversidade cultural, a série vale atenção. Disponível na Netflix, no Claro Vídeo e no Fox Play.

28. 24 Horas
Jack Bauer é cria dos tempos de alerta máximo e nervos à flor da pele que marcaram a bélica gestão do presidente George W. Bush após o 11 de Setembro. Agente da unidade antiterrorismo do governo dos EUA, o estressado personagem consagrado pelo ator Kiefer Sutherland cumpre a cada jornada ininterrupta de 24 horas (a série tem como atrativo se passar em tempo real) uma tensa e violenta gincana para impedir ataques em solo norte-americano, encarando inimigos de diferentes nacionalidades, traidores internos e problemas afetivos que lhe roubam minutos preciosos. Bauer tortura e mata sem pestanejar. Também morre, para ser ressuscitado e continuar na missão. As oito temporadas produzidas entre 2001 e 2010 (em 2014 Bauer voltou para uma nona, com apenas 12 episódios) estão disponíveis na Netflix e no Claro Vídeo.

29. Better Call Saul
Coadjuvante que caiu nas graças dos fãs de Breaking Bad, o advogado picareta Saul Goodman, vivido por Bob Odenkirk, ganhou sua própria série. E se deu bem, apesar da gigantesca sombra da série matriz, uma das mais aclamadas produções da história da TV norte-americana. Better Call Saul tem sua trama ambientada anos antes, quando ele atendia pelo nome Jimmy McGill. Jovem problemático, Jimmy consegue se formar em direito e ensaia uma carreira promissora com seu talento e bom coração, mas graças à falta de sorte, aos tombos do destino e a vocação para meter os pés pelas mãos, vive na maior dureza trabalhando por tostões até perceber um caminho mais promissor do outro lado a lei. Disponível na Netflix.

30. Penny Dreadful
Penny Dreadful era o nome de folhetos de horror sensacionalista vendidos a um "penny" na Londres vitoriana. E o seriado criado por John Logan para o canal Showtime, estrelado por Eva Green e Josh Hartnett, é fiel ao material de origem, cruzando figuras clássicas do horror gótico, como Frankenstein e Dorian Gray, em uma Londres sombria e decadente. Suas duas temporadas alinhavam sangue, sexo e gore em um grande arco de horror entremeado pela investigação psicológica de seus personagens atormentados. Disponível na Netflix e no Net Now.

31. The Wire (A Escuta)
Um detetive falastrão comenta com um juiz curioso que um traficante desconhecido parece ter surgido do nada e dominado a zona oeste de Baltimore. Uma força-tarefa é formada e tem início a mais abrangente crônica televisiva já feita sobre as entranhas da violência em uma grande metrópole. Do jogo de gato e rato entre polícia e traficantes na primeira temporada, a série criada pelo ex-repórter policial David Simon (e com roteiros de grandes nomes da literatura de crime, como George Pelecanos, Richard Price e Dennis Lehane) se expande em cada uma de suas cinco temporadas para englobar corrupção política, sindicatos, a chaga da educação pública e o papel da mídia. Disponível no HBO Go.

32. How I Met Your Mother
Inicialmente surgida como a salvação para os órfãos de Friends em 2005, HIMYM angariou seu próprio público ao mostrar sintonia entre os cinco protagonistas da comédia, a ponto de ter virado cult nas últimas temporadas (foram oito no total). O nome da série é derivado da grande curiosidade narrativa: o personagem principal, o arquiteto Ted Mosby, está em 2030 narrando aos seus filhos a história de como conheceu a mãe deles, com pequenas pistas sendo distribuídas ao longo das temporadas. Com estrutura de flashbacks bem costurados e temáticos, HIMYM tem um humor singular, com bordões grudentos derivados dos divertidos encontros entre os cinco amigos da trama. Disponível na Netflix e no Claro Vídeo.

33. Weeds
Série assinada por Jenji Kohan de 2005 a 2012, antes da autora criar o fenômeno Orange Is the New Black, esta premiada comédia soma oito temporadas, mas é tranquila de ser assistida porque tem episódios curtinhos de meia hora. Acompanha a vida de uma mulher suburbana, mãe de dois jovens garotos, que passa a traficar maconha após a morte do marido para poder manter o padrão de vida. A protagonista Mary-Louise Parker interpreta Nancy Botwin, a típica anti-heroína das séries contemporâneas, uma sem-noção que comete deslizes e conquista a simpatia da audiência. Disponível no Crackle e no Claro Vídeo.

34. Lost

Você obviamente já ouviu falar desta que é uma das mais icônicas séries da TV. Pessoas que caíram numa ilha supostamente deserta passaram seis temporadas tentando descobrir que raios de lugar era aquele. Mas não apenas isso: Lost marcou seu nome na história não só por sua trama de mistério (muitos dos quais, é verdade, ficaram sem solução), mas especialmente pela experiência coletiva dos fãs que assistiam ao seriado à época da transmissão e criavam um repertório coletivo de compartilhamento de ideias e arquivos (a pirataria bombava). Para quem não viu, uma dica é começar as maratonas e não pesquisar muito na internet sobre a trama para evitar comentários desanimadores ou spoilers indesejados. Disponível na Netflix.

35. The Newsroom
Poucas profissões despertam tanto interesse de roteiristas e do público quanto a dos jornalistas — e poucas vezes a profissão foi retratada com tanto realismo e paixão como em The Newsroom. As três temporadas da série, que terminou em 2015, acompanham o dia a dia de uma emissora de TV lidando com episódios reais do noticiário recente e com as mudanças na profissão. Jeff Daniels interpreta o âncora republicano que dá uma virada na carreira em busca de um jornalismo relevante. Disponível na HBO Go.

36. Mad Men
O nome dele é Draper, Don Draper. E depois dele a TV nunca mais foi a mesma. As sete temporadas de Mad Men (2007 — 2015) ajudaram a moldar a TV em sua chamada "era de ouro", nos primeiros anos do século 21. Com um elenco afinado e uma reconstituição de época precisa, a série reconstitui os anos 1960 a partir da rotina glamourosa de uma agência de publicidade comandada por um gênio criativo, atormentado e de passado misterioso — interpretado por Jon Hamm. Disponível na Netflix, no Net Now e no HBO Go.


37. Grace and Frankie

Imagina sair para jantar com um casal de "amigos" e descobrir que o seu marido mantém um relacionamento de duas décadas com o marido da mulher que você odeia muito? Pois é, aconteceu na comédia Grace and Frankie, que é protagonizada por Martin Sheen, Lily Tomlin, Jane Fonda e Sam Waterston. O pedido de divórcio duplo dá início à trama, que se desenrola a partir da convivência forçada e da chance de viver o amor realmente como um casal. A força maior está na atuação das protagonistas, que choram e sorriem e nos despertam as mesmas emoções. Disponível na Netflix.

38. Hannibal
Após três temporadas de muito sangue e diálogos inspirados, Hannibal se despediu e deixou corações partidos. Com uma trilha sonora de arrepiar e construção visual inspirada, a série foi criada por Bryan Fuller (Pushing Daisies) para quem tem estômago forte. Destaque também para o relacionamento de amor e ódio de Will Graham (Hugh Dancy) e Hannibal Lecter (Mads Mikkelsen). As duas primeiras temporadas estão disponíveis na Netflix, e Hannibal também pode ser vista no Net Now.

39. The Americans
A rotina de um casal que leva uma vida pacata nos EUA dos anos 1980 — só que ao contrário. Por trás da fachada de agentes de turismo, Elizabeth e Philip Jennings (Keri Russell e Matthew Rhys) escondem a identidade de espiões russos em Washington — no auge da Guerra Fria. The Americans é uma série de suspense, que envolve o espectador em seu clima de mistério e atmosfera soturna — são poucos os thrillers eletrizantes como The Americans, e isso que raramente se vê alguma cena de violência explícita na série. Disponível no Net Now e na Netflix.

40. American Crime
A minissérie criada por John Ridley, vencedor do Oscar de melhor roteiro adaptado pelo filme 12 Anos de Escravidão, é uma das ótimas surpresas da temporada 2014/15. O crime em questão envolve a morte de um jovem branco e o estupro de sua esposa. A busca pelo culpado releva o real tema da primeira temporada da atração — o preconceito contra negros e latinos e as falhas do sistema carcerário nos Estados Unidos. O elenco, encabeçado pela ótima Felicity Huffman, que vive uma mãe de família amargurada e racista, dá conta de toda a carga dramática presente. Disponível no Net Now e na Claro Vídeo.

41. Veep
Vencedora do Emmy de melhor comédia, Veep tira sarro do mundo político. Selina Meyer, interpretada por Julia Louis-Dreyfus, está disposta a tudo para ser a pessoa mais influente do mundo. Contudo, tanto ela quanto sua equipe metem-se em trapalhadas, o que dificulta um pouco suas trajetórias e nos proporciona incansáveis risadas. Nosso "Frank Underwood de salto alto" evoluiu muito durante quatro temporadas, e a série prova que é possível aliar humor com crítica de forma inteligente. Disponível no HBO Go.

42. Arrested Development

Com humor ágil e nonsense, além de uma trama que apresenta situações absurdas e constantes reviravoltas, Arrested Development gira em torno da inescrupulosa e desequilibrada família Bluth, que foi à falência após uma fraude, que culminou na prisão do patriarca George Bluth Sr. (Jeffrey Tambor). Cabe então ao filho Michael (Jason Bateman) assumir os negócios e manter a família unida. Exibida pela Fox de 2003 a 2006, a sitcom foi cancelada após três temporadas. A série voltou em 2013 pela Netflix e tem a sua quinta temporada prevista para 2016.

43. Arquivo X
Ainda dá tempo de conhecer a fundo a história dos detetives Fox Mulder (David Duchovny) e Dana Scully (Gillian Anderson) antes dos dois voltarem para a TV — uma nova temporada já está sendo produzida e deve estrear no início de 2016, 14 anos depois do anúncio do fim da série, que teve seu primeiro período de duração entre 1995 e 2002. A história é conhecida: dois agentes especiais do FBI saem a campo para investigar casos paranormais, em episódios que ajudaram a construir boa parte do que conhecemos sobre ficção científica. Disponível na Netflix e no serviço Claro Vídeo.

44. Vikings
Esta é para quem gosta do clima nórdico, com direito a batalhas entre vikings, histórias repletas de mitologia, famílias que brigam e reatam. Filmada na Irlanda, a série é uma coprodução daquele país com a televisão canadense. Estreou em 2013 e já teve três temporadas, com uma quarta já em produção. Disponível na Netflix e no Fox Play.

45. Game of Thrones
Considerada uma das melhores séries já produzidas, Game of Thrones conta uma história fantástica medievalista na qual diversas dinastias lutam para ter o controle do Trono de Ferro. A trama é amada por milhares de fãs, que fazem a internet parar a cada novo episódio — cuidado para não cair em spoilers antes de ver tudo. E prepare-se para lidar com dragões, monstros horripilantes e invernos terríveis, típicos do imaginário coletivo da Idade Média. Disponível no Net Now e na HBO Go.

46. Breaking Bad

Narra a saga de um professor de química fracassado que descobre ter câncer e passa a vender metanfetamina para pagar pelo tratamento — e deixar algum dinheiro para a mulher e o filho. Com uma atuação histórica de Bryan Cranston, a trama cresce a cada episódio e deixa o espectador quase sem fôlego ao mostrar a ascensão do protagonista rumo ao domínio do tráfico de drogas de Albuquerque. As cinco temporadas constituem um dos materiais de maior qualidade já produzidos pela televisão. Disponível na Netflix e no serviço Claro Vídeo.

47. Homeland
O seriado começou arrasando quarteirões e papando troféus em premiações da TV norte-americana, mas perdeu fôlego nas últimas temporadas. Conta a história de um militar americano que volta para casa após ser mantido refém pela Al-Qaeda e tem que lidar com as suspeitas de uma agente da CIA, que acha que ele pode ter se convertido e virado um espião inimigo. As primeiras temporadas são de extrema qualidade e contam com atuações premiadas de Claire Danes como Carrie Mathison e Mandy Patikin como Saul Berenson. Disponível na Netflix e no Net Now.

48. True Detective
A primeira temporada é uma obra de arte. Matthew McConaughey rouba a cena como Rust Cohle, um detetive problemático, beberrão e depressivo, mas extremamente inteligente, que investigou uma série de homicídios alguns anos antes ao lado de Marty Hart, interpretado pelo também excelente ator Woody Harrelson. Na segunda temporada, uma história totalmente diferente é contada, com Vince Vaughn, Colin Farrell e Rachel McAdams nos papéis principais, mas a série perde força. Disponível no HBO Go e no Net Now.

49. Desperate Housewives
O título da dramédia se refere às "donas de casa desesperadas" que moram em um subúrbio americano e passam por perrengues típicos de quem tem o combo marido-filhos, mas a história vai muito além disso: cada temporada da série, que ficou oito anos no ar, tem tantos mistérios e segredos que é preciso tempo para resolvê-los. Os episódios são narrados por uma dona de casa já morta, que se mata logo no início da trama e segue acompanhando do além as quatro amigas protagonistas. Disponível na Netflix e no Claro Vídeo.

50. Doctor Who
Série predileta da rainha da Inglaterra, Doctor Who é quase uma instituição inglesa. Transmitido desde 1963, o programa conta com 34 temporadas e um filme produzidos. A história mostra o Doutor, um "senhor do tempo" que consegue viajar para qualquer era e para qualquer lugar e tem como missão salvar populações ou pessoas em perigo. Disponível na Netflix, no Net Now, no Vivo Play e no Claro Vídeo.